terça-feira, 27 de novembro de 2007

Tarja-preta

Eu falei que era muita cafeína. E sempre me aparece uma mulher tarja-preta. Cara, de onde elas vêm? Esta, em especial, vem lá de longe. Vício. Na certa. Ainda mais pra alguém como eu. Parado aqui, esperando alguma coisa em que se viciar. Dança, dança, dança. Cara, o que foi aquilo? Foi ilusão. Foram os efeitos de alguma daquelas drogas. Não, não é real. É só mais um conto do Kafka. É só um ópio contemporâneo. De primeira qualidade. Foge cara, foge enquanto é tempo. Bebe mais. Dança, dança, dança. Luzes. Que coisa doida! Pega, puxa, beija, foge, transa, volta, bebe, dança, delira. Já tá viciado. Aqueles olhos, cara. Fissura! Aquela boca. Aquela dança que mais parece uma transa com aquelas outras meninas. Fodam-se as outras! Cara, que corpo. “Demasiado humana.” Cheia de vontades e desejos e luxúrias. Deixando todos alucinados. Cara; tarja-preta. Me deixa alucinado como leão que sente o cheiro de leoa no cio. Sinto seu cheiro, sinto seu gosto. Química, é coisa de pele. Quando tu pega, tu já sabe. É tarja-preta. Um beijo é letal. Tu sabe, quando as suas línguas molhadas se tocam, que tu vai morrer. Seja por overdose ou por crise de abstinência. E ela vai continuar viciando meninos e meninas por aí. "Mulheres tarja-preta, contra-indicadas, que causam dependência física e psíquica." E eu já estou viciado.

5 comentários:

Ryan Mainardi disse...

inspirado em uma paixão platônica. porque a imaginação é tudo.

Lili disse...

A imaginação é tudo que faz com que o ser humano consiga ficar de pé nas horas ruins. Viva ela.

leleca meleca =P disse...

ora bolas, viva a intensidade das coisas, faça valer a pena o agora! :)
não é este o sentido das nossas vidinhas de "sexo, drogas e rock'n roll"? hehoaueheaiuh

(por sinal, vidinha confusa essa.. :S)

aris disse...

:)
Oi!

Alessandra Zelinda Bessa disse...

texto que mostra tua incrível genialidade ...Ryan